Síndrome pós-covid em idosos: como ficam os idosos que tiveram a infecção?

No começo da pandemia do novo coronavírus, a preocupação com os idosos era evidente tendo em vista se tratar de um dos maiores grupos de risco conhecidos. O que ninguém imaginava é que tantos idosos, especialmente aqueles que tiveram sintomas graves e/ou passaram por internação, continuariam a apresentar os sintomas da infecção depois de recuperados. Denominada Síndrome Pós-Covid, esta condição tem sido muito comum entre os idosos e vem gerando uma série de dúvidas aos familiares. Então vamos lá entender como ficam os idosos com a Síndrome Pós-Covid?

 

Entendendo a síndrome pós-covid em idosos

 

A Síndrome Pós-Covid-19 é o nome dado para um conjunto de problemas de saúde, recorrentes ou contínuos, que têm sido apontados por pacientes que tiveram Covid-19. Embora casos graves da doença envolvendo internação e UTI tendam a abalar mais o organismo a médio e longo prazo, episódios leves também podem deixar marcas prolongadas.  

Para você ter uma ideia, estudos feitos em pessoas de diversas idades indicam que até 80% dos recuperados sentem ao menos um sintoma até quatro meses após o fim da infecção. Sabe o que é pior? Quanto mais avançada a idade e debilitado o organismo, maior a propensão a sentir os efeitos da infecção pelo coronavírus, daí a importância de redobrar a atenção com os nossos idosos.

 

Sintomas mais comuns da síndrome pós-covid em idosos

 

Atualmente, no que se refere à Síndrome Pós-Covid em Idosos, observa-se basicamente três cenários, todos bastante preocupantes: (1) o agravamento de doenças pré-existentes, (2) o surgimento de doenças até então não existentes e (3) a complicação do quadro de pessoas já hospitalizadas que são afetadas pelo vírus e têm sua saúde ainda mais comprometida.

Via de regra, para enfrentar o coronavírus e as complicações decorrentes, o sistema imunológico desencadeia um processo inflamatório no organismo como um todo, que se torna exacerbado demais em algumas pessoas, chegando a lesionar células e órgãos, especialmente vasos, pulmões, rins, fígado e sistema nervoso. 

Com uma inflamação mais grave, não é incomum abrir caminho à fibrose muscular, situação que costuma vir acompanhada de dificuldade para respirar e se locomover e, às vezes, seguida por uma insuficiência cardíaca. A maior parte das queixas envolvem as funções respiratória e motora, mas além dessas, há relatos frequentes de fadiga crônica, dor no peito, dor de cabeça, perda de paladar e olfato (temporária ou duradoura), queda de cabelo e dificuldades de linguagem, sem falar na saúde mental, fragilizada com o medo da doença e a necessidade do isolamento social. 

 

A recuperação da covid-19

 

Após a alta hospitalar, a recuperação e a reabilitação dos pacientes envolve muitos desafios e também paciência para que o organismo consiga ter respostas positivas. O caminho da recuperação plena é realmente lento, podendo os sintomas mencionados há pouco durarem semanas ou meses, a depender de uma série de fatores, como o próprio organismo do paciente, o acompanhamento médico e o processo de reabilitação seguido. 

Se você tem algum familiar idoso apresentando sintomas da Síndrome Pós-Covid e está difícil contribuir de maneira adequada para restabelecer a qualidade de vida dele, entre em contato com a Nossa Casa. Para superar essa fase, alimentação saudável, hidratação, atividades físicas que não exijam demasiadamente da capacidade pulmonar, cuidado com a saúde mental e acompanhamento com profissionais são essenciais.

Dispomos de uma equipe multidisciplinar treinada para cuidar de idosos nos mais diversos graus de dependência, bem como infraestrutura necessária para tornar essa jornada mais amena e assertiva possível. Somos mais do que uma casa de repouso para idosos em Curitiba: somos um verdadeiro lar que integra o cuidado profissional com o carinho de uma família. Agende uma visita, será um prazer lhe receber!

Vamos conversar?