Como internar um idoso contra sua vontade em uma casa de repouso?

A institucionalização do idoso costuma ocorrer pelos mais variados motivos. Dentre eles, destacam-se os casos em que o idoso se encontra debilitado devido ao acometimento de doenças que causaram dificuldades físicas e/ou cognitivas e a família, em meio às atividades do dia a dia, não consegue acompanhar e oferecer toda a atenção e cuidado devidos. Há, ainda, casos em que os idosos já são acompanhados por cuidadores, mas os familiares percebem que o atendimento não é satisfatório e optam por casas de repousos particulares.

A institucionalização do idoso costuma ocorrer pelos mais variados motivos. Dentre eles, destacam-se os casos em que o idoso se encontra debilitado devido ao acometimento de doenças que causaram dificuldades físicas e/ou cognitivas e a família, em meio às atividades do dia a dia, não consegue acompanhar e oferecer toda a atenção e cuidado devidos. Há, ainda, casos em que os idosos já são acompanhados por cuidadores, mas os familiares percebem que o atendimento não é satisfatório e optam por casas de repousos particulares.

No entanto, embora essas instituições ofereçam toda a infraestrutura necessária, todo o cenário de transição se torna ainda mais delicado quando há uma internação involuntária, ou seja, uma internação contra a vontade do paciente. Muitas vezes, o idoso não tem consciência de seu problema e gravidade e, por isso, recusa proteção e tratamento.

Embora haja certa resistência, em casos graves, faz-se necessário apelar para a interdição com a finalidade de garantir a saúde, integridade e segurança da própria pessoa. Trata-se de um ato de carinho, afinal, se o idoso estivesse bem e saudável não haveria razão para optar por esta alternativa.

Nessas situações em que a internação ocorre contra a vontade é fundamental que haja paciência e compreensão por parte das instituições, dos familiares e dos médicos. Sem pressa e, sempre que possível, respeitando os limites de tempo do idoso até que ele se acostume com as mudanças em sua rotina. Além disso, escolher casas de repouso particulares que ofereçam atividades e convívio com outros idosos e permitam que os familiares levem objetos pessoais também pode ajudar neste processo.

Vale ressaltar que toda internação involuntária precisa ser realizada com um diagnóstico médico elaborado por profissionais capacitados. Esse diagnóstico será a base para a definição da estratégia a ser adotada pelas casas de repouso particulares e os familiares para realizar um tratamento adequado e propor atividades que melhor se enquadrem ao seu perfil.

Por fim, lembre-se que atendimento próximo, ambiente acolhedor, profissionais qualificados e a presença constante dos familiares e entes queridos são algumas das iniciativas realmente eficazes para ganhar a confiança do idoso em momentos como esse!

Vamos conversar?